terça-feira, 26 de maio de 2009

IMAGENS: EDSON SILVA

O prefeito James em seu café da manhã, regado de cuscús e molho de tomate, enquanto trabalhadores de Saúde e Educação estão com seus vencimentos atrasados.

Educadores da rede municipal de ensino, na porta da Prefeitura reinvidicam seus vencimentos que se encontra atrasados.

Numa cidade como Palmeira dos Índios repleta de contrastes administrativos que somente olham para seus interesses, aí está o retrato de uma péssima administração repleta de atrasos para o funcionário municipal da Saúde, e recentemente da Educação. Além de cortarem seus vencimentos em 30%, os professores da rede municipal de ensino, perderam também seus adicionais que tinham direito para transportes e outras finalidades. O corte foi autorizado pelo prefeito do município, logo após ter assumido a prefeitura, alegando não ter dinheiro para o repasse aos professores. Nessa quarta-feira os referidos fizeram uma greve geral em toda rede municipal de ensino, seguido com passeata de protesto pelas principais ruas e avenidas da cidade. Os mesmos querem a reposição salarial que poderia ser repassada em março do ano em curso, de 12% de reajuste para professsores, e 8% para funcionários, fora a integralidade e paridade, a regularização das 15 horas que temos direito, e o mes de dezembro que não recebemos, além de melhores condições em qualidade para algumas creches, afirma Vânia Calheiros, presidente da Sinteal juntamente com Eder Tagino, presidente do SSPM. Essa é a segunda paralização que James enfrenta ao assumir seu governo, durante os cinco meses de sua gestão como prefeito do município. A greve será por tempo indeterminado, ou até quando o prefeito resolver respeitar os direitos adiquirido, só assim prometem voltarem as salas de aulas para cumprirem seus compromissos como educador.

Nenhum comentário: