quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

CIDADE CONVIDA FULIÕES E VISITANTES


Fotos: Edson Silva

Com uma estrutura voltada para receber turistas e fuliões neste carnaval, Palmeira dos Índios se prepara para atrair e resgatar as velhas tradições carnavalescas. Sua rede hoteleira capacitada para atender a demanda de turistas, com comidas típicas regionais, pessoas treinadas e capacitadas para atender as exigencias dos turistas. Para visitação, temos, Casa Museu Graciliano Ramos, Museu Xucurús Artes e Costumes, Transgoití, Igrejas Barrocas, Bibliotecas, Praças, Lanhouses, Paisagens Exuberantes, e uma infra-estrutura digna de ser explorada. Contará com diversos blocos carnavalescos As Pecinhas, As Pimentas, entre outros. Animação não faltará para o visitante que nos prestigiar com suas presenças, e sem contar com um clima saudável e satisfatório para o visitante, que ficará gravado na memória dos visitantes, frase do escritor palmeirense (Luiz B. Torres in-memórian) "Quem visita Palmeira dos Índios, prende-se a ela pelos laços da saudade, e o desejo de voltar". O palmeirense é acolhedor e amigo, venha nos visitar.

Um comentário:

Oscar Calixto disse...

Edson, obrigado por suas palavras lá no blog do nosso amigo jornalista Maikel Markes. Eu me orgulho de ser alagoano justamente por ser o estado de uma gente que luta bravamente! Todas as minhas raízes estão aí. Mãe, avós, parentes, primos, tios... Só meu pai, que vive um pouco mais longe. Mas que foi nascido e criado também em Palmeira dos Indios! Minha mãe mora lá na vinte de agosto, na mesma casinha onde eu já sonhava em dar um voo mais alto! Enfim, o que tenho a te dizer é que estou aqui em terras Cariocas fazendo o meu... Para dar orgulho a minha terrinha querida também... Aqui quando falo de alagoas me dizem: Ih, terra do PC Farias... Do Collor de Melo! Eu digo: "Pois é... E também do Djavan!" rsrsr... Levo tudo na esportiva, pq afinal de contas, aqui acontece cada coisa também... Quando penso no meu povo, na minha terra, eu sinto orgulho mesmo. Por que venho do solo de uma terra rachada pelo sol, de uma gente batalha e luta muito para conseguir aquilo que quer. Eu não fui diferente. A única coisa que fiz foi vir para cá por que, na minha área, não há mesmo outro lugar! Amo o Rio também! É uma cidade linda e cheia de oportunidades para quem procura... Mas meu coração é alagoano e será sempre até o fim da vida! Grande Abraço! E felicidades... Do conterrâneo Oscar Calixto